Gostou do artigo? Compartilhe!

Intolerânica à Lactose

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

INTOLERÂNCIA À LACTOSE 

 

A lactose - o açúcar do leite - é um dissacarídeo que consiste na galactose ligada à glicose. No intestino delgado esse dissacarídeo sofre uma hidrólise, liberando galactose e glicose. A baixa atividade da enzima lactase permite que a lactose não digerida alcance o cólon, onde sofre fermentação bacteriana e produzem-se ácidos graxos de cadeia curta, gases hidrogênio, dióxido de carbono e metano.

Na deficiência de lactose há uma pequena quantidade da enzima lactase na borda em escova do intestino delgado, que reduz a digestão da lactose, muito comum nos bebês. A má absorção da lactose significa que a mesma não é completamente absorvida no intestino delgado, resultado da deficiência da enzima lactase. A intolerância à lactose consiste nos sintomas causados pela má absorção moderada da lactose.

A deficiência de lactose pode ser geneticamente mediada ou secundária a doenças que causem lesão de mucosa no intestino delgado, como doença celíaca, doença de crohn e enterites.  Nos países em desenvolvimento observa-se um número elevado de casos de intolerância à lactose devido ao alto índice de infecção intestinal.

A má absorção da lactose é mais observada nos lactantes porque a lactose ingerida sofre hidrólise incompleta.  Não se tem certeza, mas acredita-se que ocorra em doses acima de 12,5g de lactose ingerida ao dia.

O diagnóstico da intolerância à lactose é feito através da medição da glicose no sangue após ingestão da lactose ou dosagem de concentrações de hidrogênio no ar expirado após ingestão de lactose.

Os sintomas da intolerância a lactose são diarreia, dor abdominal, distensão abdominal e flatulência. Quando a lactose não absorvida chega ao cólon, ela altera o gradiente osmolar, alterando a permeabilidade hídrica. Logo, o excesso de lactose e a fermentação geram uma desabsorção. A maneira como a lactose é ingerida interfere nos sintomas. Quando ingerida na forma de solução aquosa sai rapidamente do estômago para o intestino delgado, acelerando o trânsito na região. Logo, chega uma carga elevada de dissacarídeos não absorvidos no cólon, reduzindo a osmose e aumentando a fermentação. Alimentos que retardem o esvaziamento gástrico e o trânsito intestinal auxiliam na hidrólise da lactose, fazendo com que chegue uma menor quantidade do dissacarídeo no cólon, reduzindo, assim, os sintomas.

Fonte: LEVITT, Michael; WILT, Timothy; SHAUKAT, Aasma. Clinical implications of lactose malabsorption versus lactose intolerance. Journal Clin Gastroentetology, 2013; 47; 471-480.

Obs.: Apresentando qualquer um desses sintomas procure um gastroenterologista.

Autora: Lilian F. C. Brazil Barboza (gastroenterologista)

Autor

Dra Lilian Ferreira Coelho Brazil Barboza

Dra Lilian Ferreira Coelho Brazil Barboza

Gastroenterologista

Graduação em Medicina no(a) UNESA.

Veja o perfil completo